Com uso de QR Code, ZPE Ceará é reconhecida em prêmio que elege as melhores zonas francas do mundo

22 de outubro de 2021 - 10:11

Primeira Zona de Processamento de Exportação a entrar em atividade no Brasil, a ZPE Ceará, que no último mês de agosto completou oito anos de operação, voltou a ser reconhecida pelo fDi’s Global Free Zones of the Year, prêmio que elege as zonas francas de maior destaque para investidores estrangeiros a nível mundial. Na edição deste ano, a premiação avaliou o desempenho de mais de 70 zonas francas ao redor do mundo, condecorando os principais destaques.

Divulgado na última edição da fDi Magazine, publicação vinculada ao renomado periódico britânico Financial Times, o fDi’s Global Free Zones of the Year | 2021 reconheceu a ZPE Ceará com menção honrosa na categoria “Digitalização de Serviços”, em virtude do trabalho realizado pelo setor operacional da free trade zone cearense com o QR Code, ferramenta que permitiu tornar as operações da empresa completamente digitais, em meio às limitações oriundas da pandemia.

Em seu comentário, Alex Irwin-Hunt, um dos jurados da premiação deste ano, destacou que o trabalho de digitalização realizado pela ZPE Ceará impressionou toda a banca. “A zona mudou de uma forma de trabalhar totalmente presencial e baseada em papel para um modelo 100% sem papel e computadorizado. Isso incluiu o uso de QR Codes em telefones para a entrada na área”, pontuou.

“Já vínhamos trabalhando há alguns anos, por meio do nosso Sistema Integrado de Controle Aduaneiro (SICA), desenvolvido pela ZPE Ceará para controle de acesso de pessoas, cargas e veículos, com o objetivo de aumentar a digitalização dos nossos processos operacionais. Com o advento da pandemia, agilizamos ainda mais esse trabalho e conseguimos tornar o nosso modelo de operação 100% computadorizado, utilizando apenas o QR Code, sem nada de papel”, explica Andréa Freitas, diretora de operações da ZPE Ceará.

“Ter esse trabalho reconhecido pela fDi Magazine, uma publicação referência no monitoramento de zonas francas, nos enche de orgulho”, complementa a diretora de operações da ZPE Ceará.

HISTÓRICO DE RECONHECIMENTO

Em 2020, mesmo diante de um cenário adverso gerado pela pandemia, a ZPE Ceará, que não deixou de operar em nenhum momento, venceu quatro categorias da premiação promovida pela fDi Magazine. Na ocasião, a free trade zone foi agraciada por: “Implantação de Tecnologia”; “Conjunto de Talentos”; “Impulsionadores de Exportação”; e “Desenvolvimento de Habilidades”.

Além disso, entre 2016, ano em que a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) iniciou sua produção, e 2018, a ZPE Ceará já havia sido premiada no fDi Global Free Zone of the Year. Em 2016, venceu quatro categorias; em 2017, outras duas; e em 2018, com cinco premiações, foi apontada como Zona Franca da América Latina altamente recomendada para pequenas e médias empresas.

EXPANSÃO À VISTA

De olho no futuro, a ZPE Ceará se prepara para inaugurar, neste semestre, a sua primeira expansão. Chamado de Setor II, o projeto compreende uma área de 137 hectares, cuja execução ocorrerá em quatro fases. A primeira fase já teve suas obras concluídas e compreende 23 hectares, divididos em pequenos e médios lotes, proporcionando condições para instalação não apenas de grandes empresas, mas também de pequenos e médios empreendimentos industriais.

Empresa subsidiária do Complexo do Pecém, também formado por uma Área Industrial e pelo Porto do Pecém, a ZPE Ceará conta com 6.182 hectares de área para investimentos. Com localização estratégica, uma vez que a sua Área de Despacho Aduaneiro (ADA) fica a apenas 6 quilômetros (km) do Porto do Pecém e a menos de 60 km de Fortaleza, a free trade zone cearense oferece incentivos administrativos, cambiais e tributários às empresas instaladas.

Texto: Áquila Leite